História
  • 1995
  • FUNDAÇÃO DA APRUAL - Associação de Produtores Rurais de Alto Alegre.

    Em 24 de dezembro de 1995, um grupo de agricultores nomeou uma comissão organizadora para dar início aos primeiros passos necessários para se fundar a Associação dos Produtores Rurais de Alto Alegre – APRUAL, que tinha por objetivos:

    • Fortalecer a organização social e política dos agricultores rurais;
    • Garantir os direitos dos associados junto ao poder público, principalmente no atendimento às necessidades da educação, saúde, habitação, transporte, lazer e cultura;
    • Desenvolver formas de cooperação que ajudem na produção e comercialização;
    • Contribuir para o avanço das lutas populares;
    • Preservação ambiental e conservação dos solos;
    • Negociar recursos junto às instituições financeiras;
    • Organizar a compra de insumos, máquinas, equipamentos, produtos domésticos necessários às atividades de produção rural.
  • 1997
  • ASSISTÊNCIA TÉCNICA

    A Associação recebeu assistência técnica de agrônomos, coordenadores das Associações Municipais de Verê, representantes do Sindicado dos Trabalhadores Rurais e do CAPA (Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor), orientando os associados sobre a viabilidade do trabalho em associações.

    O leite que já era fonte de renda de muitos produtores mas não valorizado, passou a ser assunto recorrente nas reuniões.

    O interesse por formação de pastagens específicas para gado leiteiro era o assunto de maior interesse do grupo, que desenvolveu trabalhos práticos em algumas propriedades.

  • 1998
  • IDEIA DE VENDER LEITE EM GRUPO

    Em 1998, motivados pela assistência das entidades a associação buscou a alternativa de renda num trabalho prático. Decidiram fazer um plantio de pipocas. O terreno foi arrendado. O plantio e a limpa foi feito com máquina e a colheita foi manual pelos associados. A pipoca foi colhida a mão, amontoada com balaio e carroça e debulhada com trilhadeira. Depois espalhada na antiga escola desativada, para secar.

    A participação do grupo foi boa. A experiência de trabalho foi positiva, mas se tornou inviável. Houve dificuldade no comércio e preço baixo, inviabilizando a ideia.

    A associação não desistiu. Estimulados na atividade leiteira com o plantio de pastagens e melhoria na raça, os produtores tiveram a ideia de reunir o leite dos associados e entregar em nome da associação, para desta forma se enquadrar na cota de quantidade e diminuir o custo do frete, conseguindo um valor final melhor.

    Na época só uma empresa comprava leite da comunidade chegando ao valor de até R$ 0,08 (oito centavos) por litro.

  • 1999
  • IDEIA DA FORMAÇÃO DA AGROINDUSTRIA

    O então Prefeito Municipal Loivo Roque Ritter e o Vereador Lino Alfeu Zeni incentivaram a associação, trazendo a ideia do Pacto Nova Itália ao grupo.

    O assunto foi tomando espaço nas reuniões e após vários debates, a APRUAL deu início ao projeto da agroindústria de derivados de leite, futuro Laticínio Alto Alegre, com capacidade de 1.000 litros/dia. A EMATER/PR participou na elaboração do projeto. 

    Recursos e Construção

    Para o investimento inicial, a APRUAL tinha em caixa R$ 2.023,69.

    A Administração Municipal cedeu para a associação, em regime de comodato, a escola da comunidade, que estava desativada para aulas. Também ajudou na adaptação do prédio, nas instalações elétricas e no calçamento. A Associação de Produtores fez financiamentos através da linha PRONAF AGREGAR, para pagamento em 8 anos. O programa Paraná Doze Meses ajudou a entidade através de projetos a fundo perdido. Os integrantes da associação participaram com a mão de obra. Os móveis utilizados no escritório eram usados, alguns foram adquiridos em um leilão da sociedade hospitalar dos trabalhadores rurais de Verê, outros móveis e utensílios de cozinha foram emprestados por alguns associados para montar o refeitório dos primeiros funcionários.

  • 2001
  • INDÚSTRIA PRONTA PARA A FABRICAÇÃO

    No dia 9 de abril de 2001 teve início o processo produtivo, contando com 713 litros de leite, valor referente à produção diária dos associados. Neste momento a empresa contava com 4 funcionários, membros da família dos associados.

    Os produtos produzidos naquela época eram o queijo mussarela, queijo parmesão, trançados temperados, e ricota.

    Para fins mercantis a associação constituiu uma empresa limitada, cuja razão social escolhida fora Laticínio Daniel Colle Ltda, nome de um líder comunitário que perdeu a vida em 1957, por ocasião da Revolta dos Posseiros, ocorrida na região sudoeste do Paraná, no local onde está edificada a indústria, nome também da antiga escola adaptada para agroindústria.

  • 2006
  • SEGUNDO INVESTIMENTO

    Os produtos obtiveram uma boa aceitação no mercado e percebeu-se a procura cada vez maior pelos mesmos. Com maior demanda, a agroindústria passou a comprar leite de produtores da comunidade que não eram associados. A produção foi crescendo mês a mês, em razão disso houve a necessidade de ampliação da fábrica e de equipamentos. Também os produtores associados, incentivados pelo programa Bom Pasto da Secretaria Municipal de Agricultura, buscavam iniciativas para aumentar a produção leiteira, juntamente com a qualidade. Dessa forma, a associação recorreu à linha do Pronaf Agregar, do Banco do Brasil, onde conseguiu o 2º investimento.

    Em 2006 a agroindústria empregava vinte funcionários diretos, produzindo queijos mussarela, mussarela fatiado, queijo prato, prato fatiado, queijo trançado temperado com vinho, trançado temperado com orégano e manteiga.

  • 2008
  • AMPLIAÇÃO

    A agroindústria teve um aumento de 30% da sua capacidade de produção, contando com 1.000 produtores de leite e 75 funcionários. Dessa forma, sócios, produtores e funcionários se envolveram numa parceria que só aumentava.

  • 2013
  • PROJETO

    O Laticínio Alto Alegre, neste período, processava cerca 100.000 litros de leite/dia, contando com 100 colaboradores no seu quadro de pessoal. No entanto, a demanda de leite recebido exigiu um novo investimento, desta forma foi montada uma nova fábrica, com capacidade de processamento de até 250.000 litros de leite/dia. Esse projeto foi aprovado pelo SIF (Serviço de Inspeção Federal), oportunizando ao Laticínio Alto Alegre que lançasse seus produtos para todo o país.

  • 2014
  • NOVAS INSTALAÇÕES DA FÁBRICA

    As novas instalações do Laticínio Alto Alegre, contam com uma estrutura moderna atendendo as mais elevadas exigências do mercado, como qualidade, higiene, sabor, praticidade e consciência ambiental, solidificando a nossa marca no mercado brasileiro.

    A estrutura física possui uma área de 5.100 metros quadrados de construção, expandindo a capacidade de captação e processamento, aumentando em 4 vezes a capacidade anterior. Houve também um aumento de 20%  no número de empregos diretos.

  • 2018
  • NOVAS INSTALAÇÕES DO ADMINISTRATIVO

    Em maio de 2018 concluiu-se mais duas obras importantes do Laticínio Alto Alegre: o Estacionamento coberto e a nova sede do Administrativo, oferecendo um ambiente amplo e mais confortável para atendermos da melhor forma possível nossos produtores, clientes, parceiros, representantes, sócios, funcionários e visitantes.

    Neste ano foi efetuado também o lançamento de mais um produto no mercado, o Queijo Colonial Zero Lactose, atendendo a uma necessidade diferenciada de nossos clientes.

  • 2019
  • NOVOS PRODUTOS

    Lançados no mercado mais 4 produtos: Requeijão Cremoso, Mistura de Requeijão e Amido, Manteiga pote de 200g e Manteiga pote de 500g. Em breve, produziremos, também, o Queijo Parmesão, agregando ainda mais nosso mix de produtos e satisfazendo nossos clientes e consumidores.

Laticínio Daniel Colle Ltda

Rua Principal, Km 5
Linha Alto Alegre
Verê - PR | CEP 85585-000

(46) 3535-1692 | (46) 3535-2222